Incêndio na Cinemateca de São Paulo

A União Brasileira de Profissionais de Imprensa REPUDIA com total veemência a desídia por parte das Autoridades que pelo seu descaso, inércia, omissão e desprezo, voluntários ou não, deixaram que os trabalhos históricos de centenas de Profissionais de Imprensa fossem consumidos por um incêndio no galpão da Cinemateca Brasileira na Vila Leopoldina, bairro da zona oeste de São Paulo, nesta quinta-feira (29).

O mais triste desse episódio: Era uma tragédia anunciada! No último dia 20, o Ministério Público Federal em São Paulo (MPF-SP) alertou o governo federal, responsável pela Cinemateca, para o risco de incêndio no local. O incêndio ocorreu nove dias depois.

Neste caso pontual, nos solidarizamos com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que criticou o incidente nas redes sociais.

“O incêndio na Cinemateca de São Paulo é um crime com a cultura do país. Desprezo pela arte e pela memória do Brasil dá nisso: a morte gradual da cultura nacional”, disse em uma postagem no Twitter.

ATUALIZAÇÃO AS 16H35 | A presente Nota de Repúdio é pública e foi enviada para as redações e associações: Jovem Pan, Super Radio Tupi, O Globo, O Dia, Os Pingos Nos Is, Rádio Roquette Pinto, Fenaj, Ordem Brasileira dos Jornalistas, Arfoc,  SBT, Record, Band, Secom e para a própria Cinemateca.


União Brasileira de Profissionais de Imprensa
30/07/2021


GALERIA DE FOTOS DO INCÊNDIO