A importância, a força e a relevância do jornalismo independente

O que antes era motivo de chacota, galhofa ou desprezo, entre profissionais e até entre familiares, o jornalismo independente – sites, blogs e profissionais de imprensa – hoje esse mesmo jornalismo independente é o pilar do verdadeiro jornalismo, não manipulável, que fala a verdade porque tem compromisso com a verdade, sem medo de retaliações, sem mordaças editoriais e sem redações viciadas, agarradas à uma vertente política.

O verdadeiro jornalismo não é de direita, esquerda ou centro, é comprometido com a verdade!

O profissional autônomo ou empreendedor, aquele que cria o seu blog, site, perfil nas redes sociais, nas rádios comunitárias ou digitais, ‘surfa’ na onda da liberdade de imprensa e de trabalho e por isso ele pode contar a verdade, ele pode falar o que pensa, ele pode contar a verdade sem a obrigação de fabricar barrigas, fabricar pautas ou alterar a verdade, pelo contrário, ele tem a liberdade de contar a história conforme ela é de fato e de verdade.

Poucas ou raras são as redações de grande porte (a antiga imprensa) que agem com essa liberdade e com essa verdade, por isso, o crescimento do jornalismo independente fez a verdade voltar a ser contada como A verdade, porque não estão presos à vícios, pautas ou ‘acordos’.

Jornalistas viciados tem até medo de jornalistas independentes.

Um dado curioso é que 83% dos jornalistas que foram mortos nos últimos 10 anos, todos eles, eram independentes… Por que será? Não é curiosa essa informação?

O jornalismo independente e o profissional de imprensa independente é tão relevante como os jornalistas tradicionais e como os profissionais de imprensa tradicionais que ainda estão nas grandes corporações e nas grandes redações, hoje o jornalismo independente é muito mais valorizado, respeitado e recebe muitos seguidores, iguais ou até mais do que os tradicionais. Basta olhar para as redes sociais.

Um trabalho sério é levado a sério por seu público, ele é respeitado, e os jornalistas independentes e os profissionais de imprensa independentes hoje são definitivamente a ‘chave do futuro presente’, eles são os contadores de histórias não viciados, aqueles que tem compromisso com a verdade e vão te contar a verdade.

São todos? Lógico que não, porque em todas as profissões existem as ‘maçãs’ podres, mas o relevante número de jornalistas expressivos, verdadeiros e honestos, mesmo que independentes, estão engolindo os tradicionais, que estão sucumbindo em suas próprias mentiras e narrativas.

Basta olhar para o desespero da vênus platinada.

Existem jornalistas e profissionais de imprensa sérios e comprometidos com a verdade na velha imprensa? Sim, mas são poucos e a maioria está amarrada à pautas fabricadas e precisam seguir a ‘linha editorial’ daquela redação que está alinhada com alguma vertente, porque esses profissionais precisam daquele dinheiro para sobreviver.

Não posso culpá-los. O calo dói e aperta em seu dono.

Mas, hoje o público em geral tem acesso a informação de verdade: Viva o jornalismo independente.

Texto de Léo Vilhena
Twitter: https://twitter.com/LeoVilhena50